Notícias

Ajuda de robôs para a saúde pessoal e atividades domésticas: futuro ou realidade?

Foto: divulgação

 

Por Rafael Piumato, Administrador da Mirador Atuarial

Lembro que quando era criança assistia os Jatsons, desenho animado criado pela Hanna Barbera. Tratava-se de uma família do futuro onde os carros voavam e as refeições e higiene pessoal podiam ser feitas com o apertar de um botão. Aquilo tudo parecia coisa do futuro mesmo. Mas cada vez mais percebo que o futuro chegou e que os avanços tecnológicos, além de facilitarem nossa vida, irão nos ajudar a viver cada vez mais.

No evento CES 2019 (Consumer Electronics Show), em Las Vegas, a Samsung apresentou três robôs, são eles: Bot Care, Bot Air e Bot Retail.

Vamos ao primeiro e o que mais chamou atenção no evento, o Bot Care (robô no centro da imagem acima). O Bot Care terá a missão de auxiliar as pessoas com seus cuidados pessoais, principalmente os idosos. Entre suas funções, se destacam as seguintes: monitoramento de sono, monitoramento dos sinais vitais, alerta para tomar remédios, monitoramento para verificar se os remédios foram devidamente ingeridos e ele se conecta com sensores da casa para caso o usuário sofra algum acidente (se isso acontecer, o Bot Care consegue entrar em contato telefônico com familiares, amigos ou para a emergência médica).

O menor dos três robôs, o Bot Air, monitora a qualidade do ar na casa. Ele também se conecta aos sensores da casa e, caso ele observe que tenha alguma irregularidade no ar, o Bot Air se desloca com suas rodas até o local e purifica o ar.

Por último temos o Bot Retail, mais voltado para o comércio. Esse robô pode mostrar o local em que a comida ou alguns ingredientes estão guardados, entregar café e pratos de comida aos usuários, bem como  efetuar pagamentos de refeições.

Não é a primeira vez que vemos esse tipo de produto apresentado ao mercado. Em 2016 e 2018 a empresa taiwanesa Asus apresentou o seu robô chamado Zenbo. O Zenbo têm funções bem parecidas com o Bot Care.

Será que chegamos ao “futuro” e teremos robôs domésticos para nos auxiliar a viver melhor?