Artigos

Boas práticas para economizar dinheiro para viajar

Por Rafael Piumato, administrador da Mirador Atuarial

A cada ano que passa o desejo de viajar para fora do Brasil só aumenta. Porém, ao fazer pesquisas rápidas nos assustamos com o valor que será gasto para atingir esse objetivo.

Por conta disso, é necessário ter planejamento para viajar e ser organizado financeiramente. Abaixo, seguem boas dicas para você guardar dinheiro e gastar menos em sua viagem:

   - Programe suas férias – viajar em baixa temporada é sempre mais acessível. Meses entre março e junho ou setembro e novembro sempre possuem valores mais baixos. O quanto antes você comprar sua passagem mais chance dela ser mais barata.

   - Antes de organizar sua viagem, organize suas finanças – faça um orçamento mensal de quando e com o que você pretende gastar e quanto você deseja economizar. Muitas vezes os orçamentos mensais são difíceis de acompanhar e cumprir. Caso você tenha dificuldades, separe seu orçamento mensal em semanal. Por exemplo: Em um orçamento mensal tenho R$ 1.000,00 para gastar com alimentação, lazer, estudos e transporte. Além disso, vou economizar R$ 400,00 por mês. Ao invés de cuidar desses R$ 1.400,00 durante todo o mês, você pode separar em R$ 250,00 por semana em gastos e R$ 100,00 de economia.

   - Monitore passagens – com o Google Flights e o App do “Melhores Destinos” é possível monitorar passagens e acompanhar promoções, com preços que chegam a ser bem flexíveis e podendo escolher datas em até cinco meses diferentes, por exemplo.

   - Cartão de crédito – existem dois tipos de pessoas com cartão de crédito: as que se organizam com ele e as que se perdem com ele. O primeiro caso usa o cartão de crédito para controlar seus gastos e comparar com meses anteriores. Se você não tiver uma movimentação alta no cartão, procure as opções sem taxas e anuidade. Mas se o gasto for alto o sistema de pontos pode valer a pena (considero uma movimentação de R$ 2.500,00 o mínimo para pensar em ter um programa de pontos). Por outro lado, se o seu caso for a segunda opção, cancele o cartão imediatamente e fique no débito.

   - Monitore a taxa de câmbio – nunca troque moedas em aeroportos. Pesquise diversas casas de câmbio na sua cidade. Além disso, sempre acompanhe notícias sobre a variação do dólar/euro, para saber se o momento está propício para fazer alguma reserva antecipada da moeda.

   - Saiba onde guardar seu dinheiro - investimentos muito arriscados podem fazer perder dinheiro no médio/curto prazo. Por outro lado, a poupança rende muito pouco, inclusive algumas vezes até menos do que a inflação, e com isso você “perde” dinheiro também. O ideal é identificar alguns investimentos seguros e que rendam perto de 100% do CDI. Fundos de investimento mais conservadores, CDB, LCI, LCA ou Tesouro Direto Selic podem se apresentar como boas opções, dependendo do nível de inflação do período.

   - Crie metas de economias – é sempre importante ter metas para economizar. É importante que essa meta seja alcançável. Não adianta ter uma meta que você não consiga cumprir. Conforme o que foi falado anteriormente, ter uma meta semanal é mais fácil do que uma meta mensal ou anual. Por exemplo: ter uma meta de economia anual de R$ 5.200,00 pode parecer algo difícil, porém economizar R$ 100,00 por semana parece ser muito mais fácil. Como temos 52 semanas no ano, os 100 reais mensais resultam em R$ 5.200,00 reais anuais (valor bem próximo dos custos de hotelaria para ficar de 15 a 20 dias na Europa). Se for adequado para você, efetuar alguns trabalhos free lancer podem facilmente proporcionar essa economia semanal!

Como vimos, com organização e disciplina é possível conhecer vários lugares do mundo sem comprometer as finanças pessoais e o planejamento de longo prazo. Aproveitar o período de férias para realizar aquela viagem tão sonhada é considerado por muitos especialistas um investimento e, como tal, para concretizá-la são exigidas as mesmas decisões financeiras esperadas do bom poupador. Programe-se e boa viagem!